Páginas

domingo, 19 de junho de 2011

CAPÍTULO 19 - Festa dos 18 anos

Acordei cedo, fui tomar um banho e fui preparar-me, com a ajuda da Ju. Estiquei o cabelo, e arranjei-me de modo a sentir-me bonita.


A Ju tinha sido a primeira a dar-me os parabéns, à meia noite, pois ia dormir mesmo ao meu lado. A essa hora tinha o meu irmão a bater à porta e a dar-me os parabéns também.. Para meu espanto, um minuto depois da meia noite, o Fábio ligou-me.
"- Estou?
- Parabéns princesa! - disse ele.
- Ohhhh...! Obrigado!
- Consegui ser o primeiro? - perguntou.
- Não... A Joana está aqui, ela foi a primeira, e a seguir foi o meu irmão.
- Ohh, fogo! Eu aqui a manter-me acordado para ser o primeiro...
- É como se fosses... - disse eu.
- Sim, isso também é batota, eles estão na mesma casa que tu!
- Pois é!
- Bem, vou dormir sim? Foi só para te dar os parabéns, e espero que tenhas um dia muito feliz. Comigo ao teu lado acho que vai ser. - disse ele, em tom convencido. - Tem uma boa noite minha pequenina.
- Obrigado amor... - disse-lhe eu, chamando-lhe amor, pela primeira vez.
- Amor? Nunca me tinhas chamado isso... - disse ele, num tom envergonhado mas feliz.
- Há uma primeira vez para tudo...
- Pois... Então boa noite. Beijinhos grandes... Adoro-te...Amor. - despediu-se ele.
- Dorme bem. Também te adoro. Muito... Beijinhos!"

Já estava vestida, e fui ajudar a minha mãe a preparar as coisas. Entretanto começou a chegar a minha família. Eu estava super ansiosa para que o Fábio chegasse.

- Mãe, o Fábio já está a chegar, vou abrir o portão.
- Ah, chama-se Fábio. Mas que bem! - disse a minha tia.
- Ele tem carro? - perguntou a minha mãe.
- Sim. - respondi. - Vou dizer-lhe para meter cá dentro.
- Deve ser fino, o rapaz! - disse o meu pai.
- Não, não é fino. Mas não vai deixar o carro na rua! - disse eu, e dirigi-me ao portão.
- Ai este homem ainda não se habituou à ideia de que a menina dele está a crescer. - disse a minha mãe.

A Joana estava com o Hugo a preparar as últimas coisas da mesa. A minha mãe olha para a janela e vê um Audi branco a entrar.

- Meu deus! Que grande carro! - disse ela à minha tia.
- Ei, que carrão! O rapaz deve ter muito dinheiro! - disse a minha tia. - O carro é igual ao daquele jogador do benfica, que eu vi há dias na revista. Custa um dinheirão!

O Fábio saiu do carro. Estava lindo, deslumbrante.

- Parabéns bebé! - disse ele, depois de sair do carro, cumprimentando-me com um beijo, e com uma grande caixa com um laço cor-de-rosa e um saco azul na mão. - Toma, é para ti. - disse ele, dando-me a caixa.
- Obrigado! Não era preciso gastares dinheiro... Entra, é por aqui.

Entrámos em casa, de mão dada. A minha família ficou estupefacta ao perceber que era o Fábio Coentrão. Notei a cara de espanto deles, mas ao mesmo tempo, procuraram disfarçar e agir naturalmente.

- Boa tarde a todos. - disse o Fábio.

Cumprimentou os meus familiares um a um, e ofereceu o saco verde ao meu pai, que continha duas garrafas de vinho.

- Oh rapaz, não era preciso! Obrigado. Olha, põe-te à vontade como se estivesses na tua casa. - disse o meu pai.
- Bem, o teu pai está cá uma simpatia! Ai filha, que rapaz tão lindo! Onde é que foste desencantar um jogador? - perguntou a minha mãe, sussurrando.
- Mãe, ele é um rapaz normal. Ajam com naturalidade, não quero que ele se sinta desconfortável!

Sabia que a minha família tinha muitas perguntas a fazer, mas tentei que não agissem de maneira diferente por ele ser um jogador conhecido. Ele estava um pouco tímido, mas todos tentaram pô-lo à vontade.
O almoço correu lindamente, e o meu pai estava a simpatizar muito com ele. Começaram a falar de futebol e confesso que estava a achar engraçada toda aquela situação.
Abri a prenda do Fábio, e era um telemóvel! Era um Blackberry lindo! O Fábio era mesmo um querido! Agradeci-lhe duzentas vezes!

- Vocês vão sair a que horas? - perguntou a minha mãe.
- Saimos daqui por volta das onze talvez.
- Então podem jantar cá. - disse ela.

Jantámos e o Fábio foi deixar o carro em casa dele. Achámos melhor irmos os 4 no carro do Hugo.
Chegámos à discoteca e já estavam lá os jogadores e outros amigos meus. Passámos uma grande noite.
O Hugo arranjou logo amizades com os jogadores, mas a Joana não estava a ser uma namorada muito exemplar... Não parava de olhar para o Javi Garcia e até já tinha metido conversa com ele. Não quis dizer nada, mas achei que aquela situação não ia acabar bem.
O David Luiz tinha me dado um presente. Era um relógio lindo! Eu estava realmente feliz. Estava a ter um grande dia! E com o Fábio do meu lado, estava tudo a ser perfeito!

3 comentários:

  1. adorei...

    quero mais...

    continua... tou super curiosa para ver os proximos capitulos...

    ResponderEliminar
  2. "ui será que vai haver confusão com o hugo e o javi garcia ? :O "

    quero saber mais...
    Adoro a tua fanfic(:

    ResponderEliminar
  3. Ui será que vamos ter "animação" entre o Javi e o Hugo?
    adorei todos os capítulos. beijinhos

    ResponderEliminar