Páginas

sábado, 30 de abril de 2011

CAPÍTULO 13 - Pedido oficial





No dia seguinte, preparei-me para ir ter com o Fábio. Estava nervosa... Talvez, com borboletas na barriga... Tentei pôr-me bonita!



Cheguei, e ele já estava à minha espera.

- Estás linda... Isso é tudo para mim?
- Estou normal... Achas que era para quem? Quero agradar-te! - disse-lhe.
- Agradas-me de qualquer forma.
- És um querido!
- Eu sei... - mandou-me a língua de fora. - Olha, vem comigo...

Levou-me ao meio do campo, onde se via o estádio inteiro, de uma forma única.

- As coisas ontem aconteceram muito rápido e... - disse-me ele.
- E...? O que se passa? - perguntei ficando assustada.
- Katyanne... - e fez uma pequena pausa - Queres namorar comigo?

Eu fiquei... Nem sei! Sentia-me... Aiiiii foi inexplicável! Senti um arrepio, os meus olhos iluminaram-se, e as lágrimas quase que me vieram aos olhos... Mas aguentei, soltei um enorme sorriso e...

- Claro que sim. - e beijámo-nos de seguida.

Ficámos lá durante algum tempo a viver aquele momento romântico... Afinal de contas ele tinha sido mesmo romântico e queria "oficializar" um pedido.

Fomos almoçar e foi um almoço que se prolongou pois conversámos imenso... Falámos um pouco sobre as nossas vidas, para que pudessemos conhecer-nos melhor.
Também chegámos à conclusão que era melhor não assumirmos nada perante as pessoas pois ainda estávamos no início, e normalmente a imprensa gostava de destruir namoros com as suas mentiras.
Decidimos que eu podia contar à minha melhor amiga, e ele podia dizer aos colegas, visto que tinha a certeza que não haveria problema, pois todos estavam "no mesmo barco".

Depois do almoço fui vê-lo a treinar. Adorava olhar para ele, era uma ternura para mim vê-lo a jogar. Ele para mim era perfeito!

No final do treino, ele saiu com os rapazes. Eu estava à espera dele.

- É esta a minha miúda. - disse ele aos colegas. - Agora biquinho calado!
- Olha, a Katyanne? "Ché" mano! - disse o Amorim. - Katy, este gajo tá todo feliz!
- Ainda bem, é bom sinal! - disse eu.
- Nossa, não 'tava esperando não. Eu sabia que havia aí amorzinho entre vocês, mas foram rápidos! - disse o David Luiz, a rir.
- Todo el mundo sabe que Fábio es muy rápido! - disse o Roberto.

Todos começaram a rir.
Eu estava realmente feliz e orgulhosa. Para além disso, estava ansiosa para ir contar à Joana e ao meu irmão.
Fui para casa, onde não estava ninguém. Adormeci, e quando acordei, estava lá a Joana e o Hugo.

- Olá amor! Então, agora não queres outra coisa! - disse eu provocando a Joana.
- Bolas oh mana, deixas a minha namorada em paz? - disse o Hugo, brincando comigo.
- Ahah, que lindo! A minha namorada...! Olhem, eu gostava de falar convosco, pode ser?
- Claro! - disse a Ju.

Fomos os 3 para o meu quarto.

- Bem, vocês sabem que são as pessoas em quem eu mais confio... Tu, porque apesar de seres um melga, és o meu irmãozinho lindo e sei que posso contar sempre contigo. E tu, porque o nome "melhor amiga" diz tudo...
- Vem aí discurso Katte? Que se passa, desembucha! - disse a Joana, enquanto que o meu irmão me olhava com um ar confuso.
- Vocês têm de me prometer que isto não sai daqui! Mas não pode sair mesmo! É que eu não aguento se não vos contar, mas mais ninguém pode saber disto, ninguém!
- Eh lá, Katyanne, demoras muito? - disse o Hugo, impaciente e já a achar pouca piada.
- Eu...tenho um namorado...
- Ei, ei, ei! O quê? Isso já não me cheira bem! - disse o Hugo.
- Ahah, só tu é que podes, queres ver? - disse a Joana, mordendo-lhe a bochecha.
- Menos...! É que o meu namorado... chama-se Fábio Coentrão.

A Joana soltou um "O quê???" e de repente saltou para cima de mim a abraçar-me.

- Estás a gozar, não tás? - disse o Hugo, estupefacto.

É óbvio que ele acreditava, mas o espanto era tanto...!

- Quando é que o apresentas à tua família? - perguntou a Ju.
- Nós queremos ir com calma... Não queremos assumir nada para já. Ainda é tudo muito recente, não sabemos se as coisas resultam, e como ele é conhecido é tudo mais complicado.
- Eu não acho nada boa ideia andares com um jogador. Olha que se ele te faz alguma cena parto-lhe a cara! - disse o Hugo.

Confesso que a parte de ele ser jogador era algo que por um lado eu achava muito bom, mas por outro, mau. Mas eu agora não queria pensar nisso... Estava feliz, e queria continuar a sentir-me assim!

- Prometam-me que isto não sai daqui.
- É preciso prometer oh minha croma? - disse a Ju.
- Fica descansada, mas já sabes... Olha que se ele não te fizer feliz...! - disse o Hugo, sempre com o seu instinto protector.
- Que tonto! - e ficámos os três a rir e a conversar mais um pouco.

4 comentários:

  1. fantastico...

    quero mais...

    continua...

    ResponderEliminar
  2. LINDO!

    desculpa nao ter comentado todos os capitulos e estar a comentar a penas este, mas estao todos LINDOs!

    segue tambem o meu blogs s.f.f
    http://aamizadefamosa.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito da tua fic ta a ficar muito gira
    se quiseres seguir o meu http://oamoreunico.blogspot.com/
    Beijinhos

    ResponderEliminar