Páginas

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

CAPÍTULO 3 - Uma chegada e um convite especiais

Era Sábado, acordei por volta da uma e meia da tarde. Peguei no telemóvel e tinha 2 mensagens.


De: MelhorAmiga(L)
" Bom dia meu amor @ "


De: Nº desconhecido
" Olá. Sou o Fábio, deste-me o teu número ontem. Espero que não te tenhas esquecido, hehe. Gostei muito de te conhecer. Tudo bem desde ontem?"


Guardei logo o número e respondi imediatamente à mensagem do Fábio! Uau, afinal não tinha sido um sonho. Tinha conhecido mesmo o Coentrão!!!


Para: Coentrão :$
" Oláá (: É claro que não me esqueci. Acho que isso era impossível :$ Confesso que até pensei que tinha sido só um sonho :x Também gostei muito de te conhecer. Comigo está tudo bem, e contigo? :D"


Levantei-me e fui tomar um banho. Só na banheira me lembrei que me tinha esquecido de responder à Ju. Quando saí, fui logo responder-lhe e ver se tinha resposta do Fábio.


Para: MelhorAmiga(L)
" Bom dia princesa ^^"


O Fábio ainda não tinha respondido. Fui almoçar e conviver um bocadinho com os meus pais.


- Filha o teu irmão volta hoje às cinco e meia, vais connosco buscá-lo ao aeroporto?
- Claro que sim, estou a morrer de saudades dele! - disse super contente.


Fui ligar à Joana, ela ia adorar saber que o meu irmão voltava hoje. Sempre achei que ela sentia uma grande atracção por ele...


- Estou?
- Estou, Ju! Tenho uma novidade para ti... Adivinha quem volta hoje...
- Hum... O Hugo?! - perguntou-me ela com um tom de quem tinha ficado feliz só de pensar.
- Sim! Chega às cinco e meia, vamos buscá-lo ao aeroporto. Queres ir connosco?
- Não, achas. Deixa estar bé, vão vocês, ele deve estar cheio de saudades vossas. Eu amanhã ou depois vou aí. - disse-me ela.
- Está bem amor, como queiras. Era só para te contar, sabia que ias gostar. - disse-lhe em tom provocador.
- Ahahah, que gracinha.
- Olha nem sabes, o Coentrão hoje mandou-me mensagem! Lembrou-se de mim, hehehe.
- Uau, foste marcante mana! Ahah, apaixonou-se. - disse-me ela a provocar.
- É isso tudo oh macaca. Olha vou desligar, sim? Depois falamos. - disse-lhe.
- Ok best, beijo, depois dá beijinho ao Hugo. "I lobe you".
- Vai ser entregue minha apaixonada secreta, beijinhos, "lobe you too".


O tempo passou, e às cinco horas pusemo-nos a caminho do aeroporto. O Fábio ainda não me tinha respondido, e eu pensei que já não ia responder mais. Porque é que logo eu haveria te ter a sorte que um jogador do Benfica fosse lembrar-se de mim, no meio de milhões?


Entretanto, vejo o meu irmão chegar. Fui a correr ter com ele. Ele largou as malas, e eu saltei para o colo dele. O meu irmão é cerca de 2 anos mais velho que eu. Temos uma relação muito forte e é muito difícil estarmos longe um do outro. Depois de matar as saudades partilhei-o com os meus pais. Fomos pondo a conversa em dia no carro, até que me telefonam. Olhei para o visor: "Coentrão :$". Desliguei rapidamente a chamada. Não queria atender ali em frente aos meus pais e ao meu irmão.


- Porque é que não atendeste? Não me digas que anda aí passarinho. Não contaste nada ao mano... - disse-me ele num tom protector.
- Achas, não é nada do que estás aí a pensar... - disse-lhe.


O telemóvel voltou a tocar. Era ele de novo. Decidi atender, para que o meu irmão não ficasse a pensar coisas erradas.


- Estou?
- Estou. Olá, desculpa não ter respondido à mensagem mas não estava em casa, e fiquei sem bateria. - justificou-se.
- Ohh, não faz mal. Não precisas de te justificar, entendo perfeitamente que tenhas uma vida muito ocupada.
- Eu não queria que ficasses a pensar que eu já não te ia ligar nenhuma. Normalmente vocês têm essa ideia dos jogadores, mas eu sou um rapaz normal e gostei mesmo muito de te conhecer.
- Eu não pensei isso... Pensei que estivesses ocupado. - disse-lhe, envergonhada, quase sem saber o que dizer.
- Para te recompensar, queres almoçar comigo amanhã? Para nos conhecermos um bocadinho melhor.
- Ainda não sei se tenho algo para fazer, mas logo mando-te mensagem a dizer, está bem?
- Sim, não te esqueças. Vá, um beijo.
- Beijinho, tchau. - terminei.


Quando desliguei a chamada, tinhamos acabado de chegar. Saí do carro, e o meu irmão ficou a olhar para mim com um ar malandro.


- Tens a certeza que não me queres contar nada? - perguntou-me.
- Ai maninho, deixa de ser assim! Não te preocupes comigo.
- Claro que me preocupo. E espero que não vás sair com nenhum estranho que conheceste numa noite.
- Ahahahahahahah.
- Estás a rir do quê? - perguntou.
- Nada, nada. Fica descansado, ele não é estranho nenhum. Toda a gente o conhece. Toda a gente, hehe.


Ele ficou com um ar desconfiado mas não insistiu mais, pois sabia que eu não gostava que ele fosse controlador. Apesar de tudo eu sabia que ele só queria o meu bem.


Fui para o meu quarto, e fiquei a pensar no que havia de dizer ao Fábio. Eu não tinha nada de especial para fazer no dia seguinte. Sabia que era uma oportunidade única, mas não me podia esquecer de que ele é uma figura pública...Será que devia aceitar?

2 comentários:

  1. Olá Katyanne.
    Obrigada pelos elogios à minha fic. Eu prometo que estou a tentar dar mais acção à minha historia, mas vai ser dificil pois vou ter de avançar muito no tempo e não sei bem como o fazer :S
    Quanto à tua fic... ESTOU A ADORAR :)
    Não pares de escrever esta fic, como paraste a anterior. À medida que a história avança, o numero de leitores aumenta :)
    Espero pelo próximo capítulo :b
    Beijinhos

    P.s. Acho que a Katyanne devia aceitar o convite ;b

    ResponderEliminar
  2. adorei...

    quero mais...

    posta mais hoje, por favor...

    continua...

    na minha opinião ela devia aceitar o convite...

    ResponderEliminar