Páginas

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

CAPÍTULO 4 - Convite aceite, Domingo diferente

Depois de pensar um pouco, decidi aceitar. Afinal era uma oportunidade única, que muita gente desejava ter. Era apenas um almoço, e achei que não havia nada a perder com isso.


Para: Coentrão :$
" Olá! Se o teu convite ainda estiver de pé, eu aceito :$ Preciso só de saber a hora e o sítio ^.^"


De: Coentrão :$
" É claro que se mantém de pé! Se me disseres onde moras, posso ir buscar-te a casa ao meio-dia e meia"


Para: Coentrão :$
" Não é preciso, diz-me onde é que eu vou lá ter, a sério"

O Fábio foi insistindo para que me viesse buscar a casa, ou minimamente perto dela, e eu acabei por aceitar. Fui dormir, e confesso que ansiosa pelo dia seguinte.


No Domingo, levantei-me cedo, fui tomar o pequeno-almoço e de seguida fui tomar banho.
Quando saí, demorei algum tempo a escolher o que havia de vestir.


Estiquei o cabelo e fui esperá-lo onde tínhamos combinado.
5 minutos depois ele chegou, parou o carro, e saiu. Veio ter comigo, cumprimentou-me e abriu-me a porta do carro para eu entrar. Entrei, e de seguida entrou ele.

- Estás muito bonita. Não te conhecia à luz do dia. - disse-me entre risos.
- Ahah. És sempre assim tão querido?
- Achas que sou querido? Estás muito enganada. Eu não fiz nada de mais. Convidei-te, tenho de ser cavalheiro.
- Ah, boa! - disse eu a rir - Então e onde vamos?
- Eu estava a pensar num restaurante espectacular...

- Sim, escolhe tu!

Fomos almoçar num restaurante luxuoso que era perto da praia.

- Podias ter-me avisado que vinhamos a um restaurante chique. Eu arranjava-me de forma diferente... - disse-lhe eu.
- Achas? Estás óptima assim. Isto não é um restaurante chique, não vês que eu vim vestido normalmente. Achei que era um lugar mais acolhedor para estarmos. Escolhi mal?
- Não, claro que não. Adorei.


O almoço correu lindamente. Tinha adorado estar com o Fábio!

Voltámos a encontrar-nos mais algumas vezes, para almoçar.

Um desses dias, já em Março, ele convidou-me para ir ao cinema.

Ficámos indecisos na escolha do filme, mas acabamos por optar por um romance. Ainda faltava algum tempo para começar a sessão, e então demos algumas voltas pelas lojas, e fomos comer um gelado na esplanada do centro comercial. Ele pagou os bilhetes do cinema e queria também ser ele a pagar os gelados mas eu insisti para ser eu a pagá-los, mas a teimosia do Fábio superou-me.
Estranhei o "à-vontade" com que o Fábio passeava no centro comercial, mas a verdade é que muitas pessoas olhavam e comentavam, mas nenhuma foi capaz de o abordar. Fiquei um pouco mais descansada.

Chegou a hora do cinema, dirigimo-nos para lá e fomos comprar as pipocas.
Entrámos e fomos conversando até que o filme chegasse.

As luzes apagam-se... O filme ia começar...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

CAPÍTULO 3 - Uma chegada e um convite especiais

Era Sábado, acordei por volta da uma e meia da tarde. Peguei no telemóvel e tinha 2 mensagens.


De: MelhorAmiga(L)
" Bom dia meu amor @ "


De: Nº desconhecido
" Olá. Sou o Fábio, deste-me o teu número ontem. Espero que não te tenhas esquecido, hehe. Gostei muito de te conhecer. Tudo bem desde ontem?"


Guardei logo o número e respondi imediatamente à mensagem do Fábio! Uau, afinal não tinha sido um sonho. Tinha conhecido mesmo o Coentrão!!!


Para: Coentrão :$
" Oláá (: É claro que não me esqueci. Acho que isso era impossível :$ Confesso que até pensei que tinha sido só um sonho :x Também gostei muito de te conhecer. Comigo está tudo bem, e contigo? :D"


Levantei-me e fui tomar um banho. Só na banheira me lembrei que me tinha esquecido de responder à Ju. Quando saí, fui logo responder-lhe e ver se tinha resposta do Fábio.


Para: MelhorAmiga(L)
" Bom dia princesa ^^"


O Fábio ainda não tinha respondido. Fui almoçar e conviver um bocadinho com os meus pais.


- Filha o teu irmão volta hoje às cinco e meia, vais connosco buscá-lo ao aeroporto?
- Claro que sim, estou a morrer de saudades dele! - disse super contente.


Fui ligar à Joana, ela ia adorar saber que o meu irmão voltava hoje. Sempre achei que ela sentia uma grande atracção por ele...


- Estou?
- Estou, Ju! Tenho uma novidade para ti... Adivinha quem volta hoje...
- Hum... O Hugo?! - perguntou-me ela com um tom de quem tinha ficado feliz só de pensar.
- Sim! Chega às cinco e meia, vamos buscá-lo ao aeroporto. Queres ir connosco?
- Não, achas. Deixa estar bé, vão vocês, ele deve estar cheio de saudades vossas. Eu amanhã ou depois vou aí. - disse-me ela.
- Está bem amor, como queiras. Era só para te contar, sabia que ias gostar. - disse-lhe em tom provocador.
- Ahahah, que gracinha.
- Olha nem sabes, o Coentrão hoje mandou-me mensagem! Lembrou-se de mim, hehehe.
- Uau, foste marcante mana! Ahah, apaixonou-se. - disse-me ela a provocar.
- É isso tudo oh macaca. Olha vou desligar, sim? Depois falamos. - disse-lhe.
- Ok best, beijo, depois dá beijinho ao Hugo. "I lobe you".
- Vai ser entregue minha apaixonada secreta, beijinhos, "lobe you too".


O tempo passou, e às cinco horas pusemo-nos a caminho do aeroporto. O Fábio ainda não me tinha respondido, e eu pensei que já não ia responder mais. Porque é que logo eu haveria te ter a sorte que um jogador do Benfica fosse lembrar-se de mim, no meio de milhões?


Entretanto, vejo o meu irmão chegar. Fui a correr ter com ele. Ele largou as malas, e eu saltei para o colo dele. O meu irmão é cerca de 2 anos mais velho que eu. Temos uma relação muito forte e é muito difícil estarmos longe um do outro. Depois de matar as saudades partilhei-o com os meus pais. Fomos pondo a conversa em dia no carro, até que me telefonam. Olhei para o visor: "Coentrão :$". Desliguei rapidamente a chamada. Não queria atender ali em frente aos meus pais e ao meu irmão.


- Porque é que não atendeste? Não me digas que anda aí passarinho. Não contaste nada ao mano... - disse-me ele num tom protector.
- Achas, não é nada do que estás aí a pensar... - disse-lhe.


O telemóvel voltou a tocar. Era ele de novo. Decidi atender, para que o meu irmão não ficasse a pensar coisas erradas.


- Estou?
- Estou. Olá, desculpa não ter respondido à mensagem mas não estava em casa, e fiquei sem bateria. - justificou-se.
- Ohh, não faz mal. Não precisas de te justificar, entendo perfeitamente que tenhas uma vida muito ocupada.
- Eu não queria que ficasses a pensar que eu já não te ia ligar nenhuma. Normalmente vocês têm essa ideia dos jogadores, mas eu sou um rapaz normal e gostei mesmo muito de te conhecer.
- Eu não pensei isso... Pensei que estivesses ocupado. - disse-lhe, envergonhada, quase sem saber o que dizer.
- Para te recompensar, queres almoçar comigo amanhã? Para nos conhecermos um bocadinho melhor.
- Ainda não sei se tenho algo para fazer, mas logo mando-te mensagem a dizer, está bem?
- Sim, não te esqueças. Vá, um beijo.
- Beijinho, tchau. - terminei.


Quando desliguei a chamada, tinhamos acabado de chegar. Saí do carro, e o meu irmão ficou a olhar para mim com um ar malandro.


- Tens a certeza que não me queres contar nada? - perguntou-me.
- Ai maninho, deixa de ser assim! Não te preocupes comigo.
- Claro que me preocupo. E espero que não vás sair com nenhum estranho que conheceste numa noite.
- Ahahahahahahah.
- Estás a rir do quê? - perguntou.
- Nada, nada. Fica descansado, ele não é estranho nenhum. Toda a gente o conhece. Toda a gente, hehe.


Ele ficou com um ar desconfiado mas não insistiu mais, pois sabia que eu não gostava que ele fosse controlador. Apesar de tudo eu sabia que ele só queria o meu bem.


Fui para o meu quarto, e fiquei a pensar no que havia de dizer ao Fábio. Eu não tinha nada de especial para fazer no dia seguinte. Sabia que era uma oportunidade única, mas não me podia esquecer de que ele é uma figura pública...Será que devia aceitar?

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

CAPÍTULO 2 - Um final de noite maravilhoso

- Katte, viste quem estava ali a ver-te dançar? Oh my god!!! - disse-me a Ju, eufórica.
- Ya, é impressão minha ou eram jogadores do Benfica???
- Não é impressão tua. Eram mesmo eles! Vou dizer à Rita para ir lá meter conversa com eles. - disse a Joana.


A Rita era uma amiga nossa que também estava lá. Ela normalmente tinha muita lata, e então decidiu ir meter conversa com o Ruben Amorim, para ver se conseguia conhecer o Fábio Coentrão. Ela era doida por ele, mas tinha vergonha. Minutos depois, vejo a Rita à conversa com os jogadores e depois apontou para a nossa mesa. Passado pouco tempo, foi ter connosco.


- Meninas, eles são tão lindos! Venham lá conhecê-los! Olha Katyanne eles estavam a falar de ti, adoraram ver-te dançar. Anda lá falar com eles! - disse-nos a Rita, super feliz.
- Achas, estás parva. Não sou dessas coisas, vai lá tu e diverte-te amiga. - disse-lhe.


A Rita voltou para junto dos rapazes, e pouco tempo depois foi buscar-me à pista.


- Kate, não podes recusar. O Coentrão quer conhecer-te. E olha que sabes que eu sou louca por ele, estou a ser tua amiga e não estou a ser ciumenta! Anda lá amiga não percas esta oportunidade! - disse-me a Rita, arrastando-me com ela, não me dando grande hipótese de escolha.


Cheguei junto dos rapazes, disse-lhes "Olá" mas a Rita fez questão que eu os cumprimentasse. Começaram a elogiar brutalmente a minha "actuação" e eu estava completamente envergonhada. A Joana chegou ao pé de nós e começou à conversa com o Ruben.
O Coentrão e eu ficámos à conversa durante algum tempo até que ele me pediu o número. Os elogios não paravam, até que desviei a conversa e começámos a falar do Benfica.


- Bé, já é tarde. Eu vou embora, ficas? - perguntei à Joana.
- Não amor, também vou.


Fui despedir-me de todos. Dei um beijinho ao Ruben, de seguida ao Saviola e a mais três amigos deles que lá estavam. Depois dei um beijinho ao David Luiz, que me retribuiu com outro, e ainda me disse:


- Muito prazer garota, cê brilhou ali na pista, ehin?! Espero ver você de novo. Tchau, beijinho, fica bem.- e deixou a sua mão deslizar suavemente no meu rosto, a seguir ao beijinho.


De seguida fui despedir-me do Fábio.
- Bem, vou embora, beijinho. - e dei-lhe um beijinho na cara.
- Beijinhos, depois eu mando-te mensagem está bem? - perguntou-me ele.
- Sempre que quiseres. Mas manda mesmo, hehe. Tchau até à próxima.


Saí com a Ju, e ela foi levar-me a casa. Ainda estavamos estupefactas, parecia um sonho, conhecer os jogadores do Benfica era bom demais! E ainda por cima, o Coentrão pediu-me o número. Oh meu deus, parecia que estava a sonhar!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

CAPÍTULO 1 - A noite que marcou o início

"Can we pretend that airplanes in the night sky are like shooting stars. I could really use a wish right now, a wish right now, a wish right now..."


- Humm, logo agora que eu estava a dormir tão bem...- esperguiçei-me e atendi o telemóvel.- Estou?
- Estou baby, ainda estavas a dormir? - era a Joana, a minha melhor amiga.
- Achas? Claro que não dona Joana!
- Desculpa, mas tinha de ser. Era para saber se logo queres ir ao Dreams.
- Quem vai? - perguntei.
- Vou eu, por isso tens de vir, obrigatoriamente.
- Ahah tonta. Não sei se me apetece. - disse-lhe a brincar.
- Eu sei que sim!
- Está bem. Passa aqui por volta das oito, jantas cá, depois arranjamo-nos até fazer tempo para irmos.
- Ok meu amor, vá agora podes continuar a dormir. Beijinho, amo-te.
- Me too. - coloquei o telemóvel na mesa de cabeceira e continuei a dormir.


Voltei a acordar por volta da uma e um quarto da tarde. Não fiz grande coisa durante o dia, nem sequer saí de casa. Eram sete e meia, fui tomar um banho. Entretanto os meus pais chegaram do trabalho, e pouco tempo depois ouvi a Joana bater à porta.


- Mãe, podes ir lá abrir se fazes favor? Já deve ser a Ju.


A minha mãe foi abrir a porta enquanto eu estava no quarto a vestir uma t-shirt e umas calças de fato de treino só para ir jantar.


- Olá Katte.
- Olá Ju. Vamos, o comer já deve estar pronto.


Fomos para a mesa, comemos a lasanha que a minha mãe tinha preparado e de seguida fomos preparar-nos. Dirigimo-nos ao meu quarto para escolher a roupa. Ela já tinha algumas roupas dela cá em casa. Estávamos em Fevereiro. Depois de muitas indecisões e hesitações, escolhi algo simples:




De seguida fomos tratar dos penteados.

 
Chegámos ao Dreams, não estava lá muita gente. Começou a tocar uma música que adorávamos, e fomos dançar, com toda a gente a aplaudir formando uma roda à nossa volta. O DJ mudou a música, e começou a dar uma que eu nunca tinha ouvido antes. Era um som que entrava pelos meus ouvidos e que me fazia querer dançar sem parar.

Nesse preciso momento entram uns rapazes que chamam a atenção de algumas pessoas lá presentes. Era o David Luiz, o Roberto, o Rúben Amorim, o Fábio Coentrão, entre outros jogadores do Benfica. Só reparei neles quando os vi na roda, a dançarem ao som da música, mas concentrados a verem-me dançar. Quando a música parou, fui para a mesa, e deixei de os ver. 

domingo, 3 de outubro de 2010

"Like Shooting Stars"

Olá! Acabaste de entrar na FanFic "Like Shooting Stars".

Este blog já conteve uma FanFic chamada "Can Become Real", uma história onde participavam diversas figuras públicas. Visto que a FanFic não estava a alcançar o mínimo "sucesso", decidi alterar a história com o objectivo de esta ser mais atractiva e ter mais sucesso.

A nova FanFic chama-se "Like Shooting Stars" e vai girar em torno da Katyanne (eu), do Fábio Coentrão (jogador do Benfica) e do David Luiz.
Espero que gostem da FanFic, pois eu vou esforçar-me para que vibrem ao acompanhar esta história fictícia.

Beijinhos :)